ESPECIALIDADES



A medicina dentária está dividida por valências, sendo que algumas constituem especialidades, nomeadamente a Ordontodia.
Cada valência estuda e pratica actos únicos e independentes, fruto da investigação da medicina dentária, na sua globalidade.
Para benefício dos nossos pacientes estamos organizados segundo estas aptidões e necessidades.

Clique sobre cada uma das especialidades para saber mais.
 
 
 
1OCLUSÃO

Estuda e trata dos problemas funções ou disfunções relacionados com o contacto dos dentes. Inclui todas as estruturas adjacentes. Ossos, músculos, ligamentos, nervos, veias e artérias.
2MEDICINA DENTÁRIA DESPORTIVA

Importância da saúde oral na saúde geral do individuo é uma relação incontestável. Não pode haver uma boa saúde plena sem uma boa saúde oral. Os dentes devem estar todos presentes ou devidamente substituídos (excepto os dentes do ciso). Devem ocupar uma posição fisiológica compatível com a boa exposição estética e funcional. Devem estar ausente de cáries ou de outros problemas. Devem promover uma boa harmonia da boca e satisfazer todas as suas funções incluindo "descarrega de stress". No desportista todos os sistemas músculo-esquelético deve funcionar e ser controlado em perfeita harmonia. Não pode a boca com a sua importância sobre o Sistema Tónico Postural funcionar de uma forma disfuncional.

3IMPLANTOLOGIA

A forma mais natural de substituir um dente face a luz da ciência actual, é através de um implante. Para uma reabilitação oral, pode ser necessário um ou vários implantes. Um implante pode suportar dois dentes e dois implantes podem suportar vários dentes.
4ORTODONTIA

Constitui uma especialidade dentro da Medicina Dentária. Em Portugal já existem profissionais com esta especialidade. Nas nossas Clínicas, a Ortodontia está assegurada e assessorada pela Drª Ana Isabel, Mestre em Ortodontia. Os tratamentos são planeados e efectuados conjuntamente com a valência de Oclusão. Conceito Prof. SATO. Um grande número de casos são efectuados através do Sistema INVISALIGN.
5DENTISTERIA

Constitui 80% do trabalho da Medicina Dentária. Utiliza técnicas e artes próprias nas restaurações dentárias. Utiliza sobretudo adesivos e resinas/compósitos nos tratamentos dentários.
6PRÓTESE FIXA

Conceito teórico e prático de substituir dentes de uma forma fixa.
7PRÓTESE REMOVÍVEL

Conceito teórico e prático de substituir dentes de uma forma removível. Retiram-se da boca para lavar e dormir.
8PERIODONTOLOGIA

Estuda e trata sobretudo os problemas que estão "ao redor dos dentes" (osso e gengiva). Os mais frequentes são as periondontites crónicas do adulto (piorreia). Que se inicia por volta dos 30 anos de idade de uma forma silenciosa. É uma doença que deve ser acompanhada de 6 em 6 meses ao longo de toda a vida. O não tratamento desta doença pode levar a perda precoce dos dentes.
9ENDODONTIA

É a técnica e arte de desvitalizar os dentes. Prepara e viabiliza o futuro dos dentes que por várias razões foram desvitalizados (retirado o nervo).
10CIRURGIA GERAL

É a valência que se ocupa sobretudo das extracções dentárias. Estão também envolvidas outras patologias dos tecidos moles e duros.
11POSTUROLOGIA

É uma ciência emergente dentro das ciências da saúde. Está a ter cada vez mais expressão em diferentes países Europeus e nos Estados Unidos da América. Dedica-se ao estudo dos problemas músculo-esquelético constituído por desequilíbrios tónico-posturais. Observam-se rotações e basculações todo o sistema assim como desequilíbrios tónicos. Os problemas proprioceptivos estão também envolvidos na problemática postural.
12MEDICINA ORAL PREVENTIVA

Consiste numa visita regular às nossas Clínicas de forma a monitorizar a sua saúde oral com uma periodicidade que permita evitar e prevenir a degradação dos seus dentes.
 
 
 
 

EQUIPA



 

Dr Helder Monteiro

Diretor Clínico


Info • Habilitações Académicas
1986 a 1989 Curso de Bacharelato em Enfermagem Geral, na Escola Superior de Enfermagem Dr. Ângelo da Fonseca, em Coimbra
1992 a 1998 Licenciatura em Medicina Dentária no Instituto Superior Ciências da Saúde Sul
1999 Curso de Oclusão, ATM e Dores Crânio-Faciais, efectuado na Casa do Médico na Cidade do Porto, pelo Professor Dr. Roberto Nascimento Maciel, com uma carga horária de 240 horas.
1999 Curso de implantologia efectuado pelo Collège Méditerranéen d`Implantologie orale. - Lisboa
1999 Curso de Reprogramação Postural Global, pelo Dr. Bernard Bricot. No Instituto Superior Ciências da Saúde Sul.
2002 Curso de Oclusão e ortopustorodontia 2º Grau pelo Dr. Michel Clauzade.
2005 Pós graduado em ortodoncia - Técnica del Arco Recto-C (Cervera - Madride)
2005 Curso de Pós-Graduação Universitária de Funções e Disfunções do órgão mastigador pela Donau Universitat Kremes - Ausria
2007 Conclusão de Mestrado em Implantologia pela DONAU-UNIVERSITAT KREMES Austria
2009-2010 - Estágio e curso na Clinida Dr. Alfredo Marino, com o oftalmologista Patrique Quercia Trabalho com o Oftalmologista Dr. Orlando Alves da Silva em dislexia postural desde 1998

• Prelecções
Desde de 1998 Prelecções anuais sobre oclusão, ATM e dislexia postural

• Actividade Profissional de Medicina Dentária em Parceria
Desde 2008 estabelecido um protocolo de colaboração com o Instituto Politécnico de Leiria ESTG no Curso de Biomecânica Desde 2008 Colaborador semanal no Departamento Médico do Futebol Clube do Porto

• Actividade como Docente no ISCSS (Instituto Superior Ciências da Saúde-Sul)
1998-2000 - Colaboração como monitor no departamento de Oclusão e ATM do Instituto Superior Ciências da Saúde Sul
2000 - 2002 Assistente estagiário da cadeira de Oclusao e ATM do ISCSS.

Drª Inês Linto

Médica


Info • Habilitações Académicas

Dr Ricardo Silva

Médico


Info • Habilitações Académicas

Dr Ricardo Vicente

Médico


Info • Habilitações Académicas

Dr Francisco Gil

Médico


Info • Habilitações Académicas

Dr Bernardo Albuquerque

Médico


Info • Habilitações Académicas

Drª Ana Mendes

Médica Dentista


Info
Habilitações Académicas
• Licenciatura em Medicina Dentária, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, com a classificação de Bom (quinze valores), em 2007.
• Reconhecimento e equivalência dos estudos portugueses em Espanha (através da «Homologación al Título de Bachiller y Convalidación por el Curso de Orientación Universitária», emitida em Espanha (Madrid), pela Secretaria-geral Técnica do Ministério da Educação, Cultura e Desporto, em 2001).
• Nível intermédio de inglês FCE («First Certificate in English») da Universidade de Cambridge, em 1998.

Drª Margarida Rocha

Médica


Info • Habilitações Académicas

Drª Andreia Leal

Médica


Info • Habilitações Académicas

Dr Diogo Machado

Médico


Info • Habilitações Académicas

Dina Gonçalves

Assistente


Info

Joana Ascenção

Assistente


Info
 
 

CONTACTOS



 

Fale connosco


Para qualquer pedido de informação envie-nos por favor um e-mail para: geral@visualdente.pt
ou use o formulário

 
 

FAQ's



Estas são algumas das dúvidas mais comuns que a nossa equipa tem vindo a recolher dos nossos pacientes ao longo dos anos.

Clique sobre cada uma das questões para saber a resposta que o poderá ajudar a desmistificar a sua dúvida.
 
 
 
1A higiene oral com aparelho ortodôntico fixo é difícil?

Com a colocação do aparelho ortodôntico, de brackets e bandas, fios e outros acessórios, as áreas de retenção de restos de alimentos aumentam, originando por isso um maior acumulo de placa bacteriana.
2O que é a placa bacteriana?

É uma película que pode ser branca, cinzenta ou amarela e que adere ao dente em volta dos brackets. É constituída por restos alimentares, células descamadas e microrganismos. A falta de higiene oral faz com que a placa bacteriana fique mais espessa e dificulte a sua remoção.
3O aparelho ortodôntico fixo mancha os dentes?

As manchas são o resultado da falta de higiene do paciente, que pode provocar um acumular de placa bacteriana, em particular em redor das brackets. Como a placa bacteriana é uma concentração de restos alimentares e microrganismos, resulta numa deterioração do esmalte dentário, provocando manchas brancas ou acastanhadas e a seguir, cáries.
4Os pacientes com aparelho fixo têm que ter cuidados de higiene redobrados?

Devem ter a máxima atenção quanto à higiene, seguindo as orientações que lhe forem sendo dados pelo ortodontista.
5Quais os cuidados a ter com os aparelhos removíveis?

Deve-se escovar o aparelho de cada vez que se faz a higiene dentária. Deve ser higienizado com água corrente, evitando assim a retenção de placa bacteriana no próprio aparelho, que pode originar um sabor desagradável. Deve mergulhar-se o aparelho num anti-séptico bucal por 15 minutos à noite.
6Qual a escova de dentes que se deve utilizar?

A escova deverá ter cerdas arredondadas e macias. No mercado existem escovas próprias para a higiene do aparelho fixo: cerdas recortadas em V para limpar mais eficazmente os brackets, com pequenos tufos e com duas fileiras de cerdas. A sua vida útil é inferior às escovas normais, por isso deve ser substituída sempre que necessário.
7Além de usar escova, há outros métodos de higiene dentária?

Deve usar-se também o fio dental. O seu uso é muito importante. Se bochechar à noite antes de deitar com soluções fluoretadas, será um grande auxílio na protecção do esmalte dentário inibindo a aderência da placa bacteriana. Deve levar as escovas ao ortodontista, sempre que possível, para que sob a sua supervisão pratique os métodos de escovagem.
8Quem tem há muitos anos os molares com amalgama mas que agora estão a ficar escuros, pode substituir por compósitos?

As restaurações com compósito têm vantagens em relação às restaurações em amálgama (mais conhecidas por "chumbos"). Têm uma estética muito superior e não pigmentam o dente.
9Que duração têm os compósitos?

Uma restauração em compósito bem executado dura 4 a 5 anos em média, havendo algumas que duram mais. Além disso têm a vantagem de poderem ser facilmente reparadas.
10As coroas podem durar toda uma vida?

A duração média de uma coroa varia entre os 10 a 15 anos. ( io, igual ao estado inicial).
11Quando sorrimos consegue-se distinguir uma coroa de um dente natural?

Pode sorrir à vontade, pois uma coroa bem executada tecnicamente não se distingue de um dente natural.
12Quantas consultas são necessárias para a colocação da coroa?

Serão necessárias em média 4 consultas. Podem no entanto, em certos casos, ser necessários mais consultas.
13As pontes podem durar toda a vida?

A duração média de uma ponte varia entre 10 a 15 anos, havendo no entanto casos que duram mais tempo.
14Quantas consultas são necessárias para a colocação da ponte?

Serão necessárias em média 4 consultas. Podem no entanto, em certos casos, são necessárias mais consultas.
15O branqueamento pode danificar os dentes?

Quando o branqueamento é correctamente executado, não danifica a estrutura dentária nem restaurações que possam já existir. O que poderá suceder é que as restaurações tenham que ser substituídas, a cor da restauração vai ficar mais escura que a estrutura dentária.
16É normal os dentes ficarem mais sensíveis ao frio?

Em alguns casos verifica-se um ligeiro aumento da sensibilidade ao frio. Essa sensibilidade deverá desaparecer passado pouco tempo. Se continuar deve-se falar com o médico. Deverá ser feito flúor, durante 15 dias após o branqueamento.
17Aparecem vários produtos publicitários nos media, que supostamente branqueiam os dentes sem haver a necessidade de ir ao dentista. Será assim?

De certeza que esses produtos não serão tão eficazes nem tão seguros como os que o seu dentista normalmente utiliza. O seu dentista como profissional dedicado e empenhado no seu bem-estar que é, colaborará consigo no sentido de obter os melhores resultados da maneira mais segura.
18A idade é impeditiva para a colocação de implantes?

A única diferença é que os idosos têm uma capacidade de cicatrização e regeneração dos ossos mais lenta que as dos mais jovens. No entanto têm todo o direito de apresentarem um aspecto geral impecável.
19O fumador pode também colocar implantes?

O único problema é a existência de uma inflamação das gengivas mais acentuada no pós-operatório, comparativamente com os não - fumadores. No entanto a gravidade da inflamação varia com o numero de cigarros que se fuma diariamente.
20Pode haver uma reacção alérgica a um implante?

Não existem até à data quaisquer relatos de reacções alérgicas ao titânio puro. Desde que um investigador sueco descobriu a biocompatibilidade do titânio e as suas aplicações práticas na medicina dentária, esse material é usado nos implantes e daí resulta a substituição de um ou mais dentes de uma forma fixa, com bastante conforto e segurança para o paciente.
21Qual a taxa de sucesso na colocação dos implantes?

É elevada. Varia entre os 98% para implantes na mandíbula e 95% para os do maxilar.
22É dolorosa a colocação de implantes?

Com a aplicação de uma anestesia local, o paciente não sente nada durante a operação. No pós-operatório, normalmente dois dias, poderá sentir algum desconforto que poderá eliminar com a colocação de gelo e pondo em prática as instruções que lhe forem dadas pelo médico.
23O que é um implante de função imediata?

É um implante que é colocado seguindo uma técnica cirúrgica especifica. Imediatamente após a cirurgia é logo aplicada a coroa, o que faz que em termos práticos se resolvam desde logo á questão estética e funcional do paciente. Permite ao paciente sair do consultório com as coroas colocadas, embora provisórias, até á colocação das coroas definitivas.
24Existe vantagens na colocação deste implante de função imediata?

Diminui a duração do processo de reabilitação oral do paciente. Evita a segunda intervenção cirúrgica para colocação das coroas definitivas. Aumenta a auto-estima do paciente pois em termos estéticos fica o problema resolvido de imediato, já que também não vai necessitar de usar aparelhos removíveis nem tem de ficar sem dentes durante o período da ostointegração (formação de osso).
25As minhas gengivas estão saudáveis?

Se estiverem inchadas e vermelhas ou se sangrarem facilmente, existe uma grande probabilidade de estarem com um problema gengival.
26Qual a causa principal dos problema nas gengivas?

A escovagem incorrecta ou não escovagem é a principal causa de problemas gengivais. A má escovagem permite que se forme a placa bacteriana entre o dente e a gengiva, causando deste modo a inflamação gengival.
27Gengivite, o que é?

Gengivite é a inflamação, edema e sangramento da gengiva, provocado pela placa bacteriana que se forma entre a gengiva e o dente.
28Como prevenir a gengivite?

A melhor maneira para prevenir é ter o hábito de escovar correctamente os dentes pelo menos três vezes ao dia, após as refeições. Use sempre uma escova macia e incline-a de modo a conseguir massajar levemente a união entre o dente e a gengiva para remover a placa bacteriana, pois é neste local que ela se desenvolve regularmente.
29Devo usar fio dental diariamente?

Sim. Com ele remove facilmente a placa bacteriana que se encontra no espaço interdentário e abaixo da linha das gengivas onde as escovas não alcançam.
30Qual a periodicidade das visitas ao dentista?

Pelo menos uma vez de seis em seis meses, para que se possa fazer uma prevenção em relação a cáries e problemas das gengivas.